Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > SASAMAN é solidariedade
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

SASAMAN é solidariedade

  • Publicado: Quinta, 25 de Junho de 2020, 20h23
  • Última atualização em Segunda, 29 de Junho de 2020, 20h23

Conheça as atividades do grupo que, em 2020, completa 50 anos

Para sobreviver ao longo de décadas é preciso ter veracidade nas ações. 

Em 2020, o Serviço de Assistência Social da Academia Militar das Agulhas Negras – SASAMAN – criado em 20 de agosto de 1970, completa Jubileu de Ouro. 

Com a pandemia da COVID-19, as atividades do grupo tiveram de ser restringidas, o que não diminuiu, em nada, a vontade de ajudar o próximo. 

Há 50 anos, a equipe foi criada por iniciativa da esposa do comandante da AMAN à época, General Meira Mattos. Meio século depois, o grupo mantém a mesma formação. Ou seja, tem à frente da coordenação a esposa do Comandante da Academia, Senhora Adriane Dutra, e como integrantes, as esposas e demais familiares dos militares e senhoras da sociedade resendense.

Foto oficial do grupo - Confraternização de 2019

Dentre elas, está Norma Brígido. Há 30 anos, o SASAMAN cruzou o seu caminho em uma ação social à frente da Casa da Amizade, de Resende. Na época, ela percebeu que, com  união, era possível atender famílias necessitadas, mesmo com pouco dinheiro em caixa.  Uma parceria com a AMAN possibilitou a realização de um baile beneficente e a continuidade das atividades em uma creche, que atendia 150 crianças. “Hoje posso participar efetivamente dessa grande obra. Com a venda dos produtos de artesanato que confeccionamos, compramos cestas básicas para os mais necessitados”, revela a voluntária.

As cestas básicas, as quais Norma se orgulha, são recebidas pelos militares do Batalhão Agulhas Negras (BAN) após uma verificação realizada no início de cada ano, inclusive, com a entrega de documentação. Somente neste tempo de pandemia, mais de 300 unidades foram distribuídas no BAN e muitos enxovais foram entregues a militares, que recentemente se tornaram pais. Essas são apenas algumas das missões dessas mulheres, carinhosamente chamadas por Sasanetes. 

Doação das Cestas Básicas aos cabos e soldados do BCSv

O SASAMAN é uma instituição sem fins lucrativos criado para prestar atendimento social e pessoal aos militares e civis que servem na AMAN. 

Nos encontros semanais, sempre às terças-feiras, o grupo decide pelas atividades anuais e também recebe novas colaboradoras.

Desta forma, se ajusta e fortalece a cada reunião. E isso também se conquista a partir da vivência compartilhada pelas integrantes.

Emmanuella Garzone está em Resende há três anos, o mesmo tempo que conheceu o SASAMAN.  Na cidade anterior, a nutricionista já tinha contato com o trabalho voluntário. O dom de ajudar pessoas ela trouxe para o grupo, local onde reencontrou uma amiga da infância, fez novas amizades e conheceu a generosidade concretizada.  “Costumamos dizer que sempre há algo que você possa fazer para ajudar o outro! Quando ajudamos, somos nós os beneficiados. Estou longe de ser uma artesã, mas tenho aprendido muito a cada dia. Bagagem que levarei comigo, quando estiver em outra cidade. Uma vez pertencente ao SASAMAN, sempre SASAMAN!”, afirma. 

Glória Franco divide com os leitores a satisfação por ser uma adepta ao voluntariado também. “Admiro quem deixa os afazeres e se doa na fabricação de artesanatos. Minhas terças-feiras ganharam outra conotação, que dirá a minha vida, muito mais significativa agora”, enfatiza. 

Em tempos normais, sem o contexto atual de distanciamento, ​tanta conversa produtiva, criatividade e solidariedade reunidas resultam em um calendário intenso de atividades, que podem ser conferidas ao longo do ano. São realizados o tradicional “Chá das Mães”, entre junho/julho; A entrega de diplomas “Amigos do SASAMAN”, em agosto; O “Chá da Primavera”, em setembro; O tradicional “Bazar de Natal”, em novembro/dezembro. 

Toda a arte produzida nos bastidores, é colocado à venda em bazares e até em forma de rifas.

 

 

Bazar Natalino beneficente e produção de artesanato

Muitos dos que recebem hoje as doações nem eram nascidos, quando a colaboradora Zeta passou a fazer parte do grupo. Atualmente ela é a responsável pelo setor de Relações Públicas. Há três décadas, ela viu tamanha seriedade neste trabalho voluntário evoluir.  “A entidade é hoje juridicamente instituída e mantém vivo o seu objetivo. Cresci com a equipe e aprendi que ser voluntária é no mínimo gratificante. Hoje o SASAMAN é mais maduro, mais consistente, dinâmico, desafiador, empolgante e contagiante”, afirma a colaboradora.

 Atividade realizada em 2019 

 

  Quem pode ajudar o SASAMAN?

 Durante os encontros, ocorre também a interação da família militar da ativa e da reserva.

Além das esposas de militares colaboradoras, integrantes da sociedade podem e habitualmente ajudam com doações de brindes para os chás, aquisição de convites para os eventos, frequência à barraca do SASAMAN na festa junina e a participação no bazar de Natal. 

O que se planta, colhe! A solidariedade praticada em Resende ganha abrangência em outras regiões pelas mãos das integrantes do SASAMAN. É comum que as esposas de militares transferidos levem essa semente e desenvolvam a ideia nas novas guarnições. 

Eni da Silva Alamino trabalha há 10 anos na instituição e já viu muitas vezes essa corrente do bem se espalhar. “Tem sido maravilhoso estar aqui! A solidariedade gera frutos, que podem ser reconhecidos pela amizade e pela renovação de nós mesmas, ao ajudar o próximo. Após a perda de um filho, foi no SASAMAN que me reconstruí”, finaliza.

 

Saiba mais das atividades https://www.facebook.com/sasaman.resende

 

 

 

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página